Entrevista com Rodrigo Capistrano

Rodrigo Capistrano, saxofonista e endorsee Rico, participará do 30º Festival de Música de Londrina, ministrando um workshop para músicos também apaixonados pelo instrumento.

O tradicional festival mantém duas estruturas, uma pedagógica e outra artística, promovendo diversos cursos de educação musical, ao mesmo tempo que leva ao público, em diversos pontos da cidade, apresentações de bandas e orquestras.

Para a ocasião, Rodrigo Capistrano conversou com a Musical Express sobre o evento, novos músicos e a importância do uso de boas palhetas. Confira:

Musical Express: Percebemos uma preocupação do Festival em valorizar o popular quanto o erudito, com homenagens tanto a Noel Rosa, quanto a Chopin e Schumann. A aula que você ministrará de alguma maneira abordará esse foco?

Rodrigo Capistrano: As aulas em princípio, serão direcionadas às necessidades instrumentais saxofonísticas e também musicais apresentadas pelos alunos. De forma paralela, alguns desses compositores podem ser abordados através de algum tipo de arranjo.

M.E. : Qual a importância de eventos desse porte no país?

Capistrano: O Brasil tem inúmeros festivais de música espalhados por todas as regiões e sem sombra de dúvida o de Londrina é um dos mais importantes e tradicionais. Basta saber que a edição desse ano será a trigésima para percebermos que se tata de um evento de grande solidez e profissionalismo em sua condução, o que o credencia como um dos mais representativos na atualidade.

M.E. : Dentro de sua experiência como músico e educador, como você vê o perfil de quem estuda e faz música no país hoje?

Capistrano: Temos uma participação cada vez maior dos jovens na busca pelo saber musical, tanto através de festivais quanto em cursos regulares em conservatórios ou no meio acadêmico. A carreira musical pode ser focada na área de performance, ou seja, como instrumentista em orquestras, bandas ou free-lance, ou ainda na área da docência, lecionando instrumentos ou outras disciplinas teóricas. Essa diversidade de possibilidades profissionais interessa bastante tanto à juventude como aos adultos que procuram se especializar.

M.E. : Qual a importância do uso de boas palhetas por quem está aprendendo a tocar o saxofone?

Capistrano: A palheta é, por assim dizer, a “alma” do saxofone, pois o princípio de produção sonora depende diretamente da escolha dessa palheta. E poder ter acesso à palhetas de qualidade, como é o caso das palhetas Rico Reserve, facilita muito o processo de aprendizado desse instrumento.

Conheça as palhetas Rico que Rodrigo Capistrano utiliza através deste link.

Curtir no FacebookTwitterMais...

fevereiro 4, 2011 News